Ontem em Bruxelas os Ministros das Pescas da União Europeia decidiram as possibilidades de pesca para 2016. Embora muitas quotas ainda estejam a ser calculadas, tudo indica que uma boa parte dos pareceres científicos foram ignorados, tendo sido estabelecidas quotas superiores aos níveis passíveis de gerar o rendimento máximo sustentável (RMS).

A falta de abertura com que o Conselho decorre dificulta o seu seguimento, mas aparentemente, para muitos casos, não foram apresentados os estudos e planos para atingir gradual e progressivamente o RMS antes de 2020, conforme exigido pela Política Comum das Pescas (PCP), nomeadamente para os stocks em que Portugal tem interesses.

O nosso Gonçalo Carvalho esteve em Bruxelas a seguir o evento, no âmbito da parceria que a Sciaena tem com o Pew Charitable Trusts.

Mais informações aqui, via PONG-Pesca.

Fotografias

Facebook

Twitter

Coligações
Parceiros